Pré-natal: Pré-natal é o acompanhamento da mulher durante toda a gestação. Aqui falamos mais sobre o que você pode esperar das consultas e quais os principais exames pedidos.

O acompanhamento pré-natal é essencial para a saúde da mãe e do bebê. É importante que seja realizado adequadamente por um médico e equipe de confiança da gestante, para garantir o bem-estar da mãe e do bebê. Isso é importante para que a paciente se sinta confortável para esclarecer dúvidas e conversar abertamente sobre todos os assuntos relacionados à gravidez, parto e pós-parto. Idealmente, deve ser realizada uma consulta pré-concepcional, ou seja, antes da gravidez, mas quando isso não é possível, o pré-natal deve ser iniciado logo após o diagnóstico de gestação e mantido até o pós-parto.

Na primeira consulta o médico deve conversar sobre todo o histórico e antecedentes da mulher, incluindo problemas de saúde, cirurgias prévias, gestações anteriores, doenças na família e medicações em uso.

Após a avaliação completa, será calculada a idade gestacional baseada na data da última menstruação (primeiro dia do último ciclo) e pelo ultrassom (se já tiver sido realizado ou, se disponível, pode ser realizado durante a consulta). Com isso, é possível fornecer as orientações adequadas, prescrever as vitaminas e medicações necessárias, conversar sobre os cuidados e restrições, caso existam, além de solicitar os exames iniciais e programar os retornos. Outros assuntos a serem abordados são os cuidados com a alimentação, ganho de peso adequado e orientação sobre a prática de atividade física.

ilustração gravidez 1

Que tal fazer seu acompanhamento pré-natal e parto com um time humanizado, respeitoso e multifuncional?

Agendar uma consulta

Com que frequência devem ser realizadas as consultas?

ilustração gravidez 2

Os retornos e seguimento devem ser individualizados, mas normalmente são mensais até 28 semanas, a cada 2 a 3 semanas entre 28 e 36 semanas e semanais após as 37 semanas. Em todas as consultas serão avaliadas as queixas e bem estar da mãe e o desenvolvimento do bebê, além de examinar os principais parâmetros como peso, pressão arterial e presença de inchaço, escuta dos batimentos cardíacos fetais e movimentação do bebê e altura uterina (tamanho da barriga) após 20 semanas (fase que o útero atinge a altura do umbigo e a mulher começa a sentir o bebê mexer)

Principais exames e ultrassons

Os principais exames realizados no pré-natal são:

  • na primeira consulta: exames laboratoriais que incluem exames de sangue para avaliar tipo de sangue, glicemia, função da tireóide, anemia e as sorologias (exames para avaliar as principais infecções que podem interferir na gestação). Também são solicitados exames de urina e fezes;
  • entre 24ª e 28ª semanas: curva glicêmica (análise da glicemia no sangue) para rastrear diabetes gestacional;
  • entre 28ª e 34ª semanas: são repetidas as sorologias de HIV e sífilis;
  • na 35ª semana: pesquisa de streptococcus do grupo B (exame do cotonete).
ilustração gravidez 3

Já os principais ultrassons incluem:

  • entre 6ª e 8ª semanas: para confirmar a idade gestacional.
  • entre 11ª e 14ª semanas: morfológico de 1º trimestre, avalia os riscos das principais síndromes genéticas, como a síndrome de Down;
  • entre 20ª e 24ª semanas: morfológico de 2º trimestre, avalia as principais estruturas do bebê e rastreia malformações;
  • entre 26ª e 28ª semanas: ecocardiograma fetal, não é obrigatório para todas as pacientes;
  • entre 28ª e 36ª semanas: obstétrico para avaliar crescimento do bebê.

Durante todo o acompanhamento é importante esclarecer todas as dúvidas e conversar sobre as mudanças e sintomas que vão surgindo. A maioria das vezes, eles ocorrem devido às alterações normais da gravidez e não devem ser motivo de preocupação, mas algumas vezes podem ser um sinal de alerta, sendo necessária melhor avaliação.

Que tal fazer seu acompanhamento pré-natal e parto com um time humanizado, respeitoso e multifuncional?

Agendar uma consulta

Sinais de alerta

Os principais sinais de alerta, que devem ser sempre comunicados ao médico, são:

  • sangramento vaginal;
  • perda de líquido;
  • diminuição da movimentação do bebê;
  • contrações regulares.

Com o acompanhamento correto e confiança mútua é possível ter uma gestação e um parto tranquilos, com mãe e bebê saudáveis.

Texto em parceria com Dra. Danielle Domingues, ginecologista e obstetra Theia.

Nós usamos cookies para melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar usando nosso site, você aceita nossa  política de cookies.